27 novembro 2011

Museus de Veneza


Veneza oferece uma série de museus onde você poderá conhecer a história da cidade, clássicos da pintura italiana além de obras de diferentes fazes da humanidade.

Se você pretende visitar vários museus, o melhor é comprar um passe, pois assim você vai economizar alguns dólares e muito tempo. Os portadores de passes não precisam enfrentar fila para entrar nos museu. Procure sempre comprar passes casados para vários museus e atrações da mesma cidade. Alguns ainda incluem serviços, como transporte e banheiros públicos.  

Deixo algumas opções de museus para você montar seu roteiro cultural.

Galeria Dell´Academia



Na Galleria dell’Accademia encontra-se a mais importante e abrangente mostra das obras dos grandes mestres de Veneza. Inclui os irmãos Bellini e Carpaccio, do século XV; Giorgione, Tintoretto, Veroneze e Tiziano, do século XVI; e Piazzetta, Longhi, Canaletto e Tiepolo, dos séculos XVI e XVII. As obras mostram de forma cronológica um panorama de Veneza entre os séculos XIII e XVIII. 
Sua construção começou em 1100, mas só foi concluída no século XIV. Antes de abrigar o museu, seu edifício foi utilizado como igreja e convento. É uma boa oportunidade para conhecer a história da arte em Veneza.

Campo della Caritá, Dorsoduro, número 1050.
Horários para visitação:
Segunda-feira das 8h15min às 14h
De terça-feira a domingo das 8h15min às 19h15min
Fechado: 1º de janeiro, 1º de maio e 25 de dezembro.
O ingresso custa 6,50 euros + 1 euro da taxa para reserva.
www.gallerieaccademia.org


Ca d’Oro (Galleria Giorgio Franchetti)




O Ca d’Oro é um dos mais bem conservados palazzi nobres ao longo do Canal Grande. Seu nome, Casa de Ouro, se deve ao fato de que sua fachada original era toda coberta de ouro. O palazzo foi restaurado em 1995, hoje sua fachada é branca e rosa e seus tetos são todos ornamentados. O Ca d’Oro abriga um acervo de esculturas, pinturas e uma importante coleção de objetos de bronze e ferro.

Cannaregio entre 3931 e 3932 (na Calle d’Oro ao norte da Ponte di Rialto).
Horários para visitação:
Segundas-feiras: das 8h15min às 14h
De terça a sábado: das 8h15min às 19h15min
Os horários podem variar durante os meses de inverno.
O ingresso custa 5,50 euros. Crianças menores de 12 anos não pagam.
http://www.cadoro.org/sito/home.html


Ca’ Rezzonico (Museo del 700 Veneziano)




Este magnífico palácio foi projetado pelo maior arquiteto barroco de Veneza, Baldassare Longhena, para a família aristocrática Bon. 
Longhena começou a trabalhar no projeto em 1649. Com sua morte em 1682, praticamente na mesma época da morte do seu nobre cliente e dos problemas financeiros da família Bon, a construção foi interrompida e o palácio ficou incompleto.
Foi, então, comprado pelo comerciante e banqueiro Giambattista Rezzonico. Em 1751 Rezzonico nomeou Giorgio Massari, um dos mais apreciados e ecléticos artistas da época, para completar a obra. O trabalho avançou rapidamente e em 1756 o edifício foi terminado. 
A fachada magnífica sobre o Grande Canal e o segundo andar seguiram o projeto original de Longhena. Massari foi o responsável por invenções audaciosas para a retaguarda do palácio: o suntuoso jardim de entrada, a escadaria cerimonial e o grandioso salão de baile obtido através da eliminação do segundo andar nesta parte do edifício. 
Logo que o prédio foi concluído, os pintores mais importantes de Veneza foram chamados para decorar, entre eles destacam-se Giambattista Crosato, Pietro Visconti e Giambattista Tiepolo.
O palácio foi totalmente concluído até 1758, quando o irmão mais novo de Giambattista Rezzonico, Carlo, o bispo de Pádua, foi eleito Papa com o nome de Clemente XIII. Este foi o pico da fortuna da família que comemorou o evento em grande estilo. Porém em menos de cinquenta anos todos os membros da família haviam morrido, dando início assim a um período longo e conturbado de vendas e dispersões da herança da família Rezzonico. 
No século XIX o palácio passou pelas mãos de vários proprietários. Um deles foi o o escritor Robert Browning. O último proprietário foi o Conde de Minerbi Hirschell Lionello, um membro do Parlamento italiano, que, após longas e complexas negociações, vendeu o palazzo ao Conselho da Cidade de Veneza em 1935.
Após passar por uma boa reforma, este belíssimo museu de artes decorativas, foi reaberto em 1997.

Dorsoduro, número 3136.
Horários para visitação:
De 1º de novembro a 31 de março: das 10h às 17h
De primeiro de abril a 31 de outubro: das 10h às 17h 30min
O museu fecha nas quartas-feiras e nos dias primeiro de janeiro, primeiro de maio e 25 de dezembro. 
O ingresso custa 7 euros.


Museo Correr, Museu Correr




O Museo Correr é o mais importante museu da cidade e abriga pinturas, esculturas, móveis, instrumentos navais e muito mais. Ele fica na extremidade oposta à basilica da Piazza San Marco e foi fundado pelo milionário Abbot Teodoro Correr, que instalou-se em Veneza com uma significante coleção de arte. O museu conta, também, com uma coleção de objetos como moedas, roupas, trajes e chapéus cerimoniais dos doges, além de um incrível par de sapatos com plataforma de mais de 30cm de altura que revela um pouco de como era o dia a dia em Veneza durante os anos de glória e poder. Foi Também conhecido como Museu del Risorgimento, relata a trajetória de Veneza, principalmente até o ano de 1866, quando foi anexada a Itália. Além das obras, preste atenção também no edifício, com salas neoclássicas decoradas de forma exuberante, e na coleção de objetos históricos de Veneza, como os instrumentos de navegação utilizados em diferentes épocas.
O museu também dá acesso ao Museu Arqueológico Nacional e a Biblioteca Marciana, que são conectados entre si.

Prouratie Nuove, Entrada Ala Napoleónica, Piazza San Marco
Horários para visitação:
De 1º de novembro a 31 de março: das 10h às 17h
De 1º de abril a 31 de outubro: das 9h às 19h
Fechado nos dias 1º de Janeiro e 25 de dezembro.
Adultos: 16 €.
Estudantes de 15 a 25 anos: 10 €.
Laminação Venice Card: 10 €
Inclui os museus da Praça de San Marcos: o Palácio Ducal, Museu Correr, Museu Arqueológico Nacional e da Biblioteca Nacional Marciana.


Museu Arqueológico de Veneza

Este é um dos mais antigos museus de Veneza e está situado no coração da cidade, perto da Biblioteca Marciana. Ele oferece ricas coleções relacionadas com a grega, egípcia, romana e das civilizações Assiryan-babilônica. 
O Museu Arqueológico foi construído em 1523 em virtude da vontade de Domenico Grimani. Sendo um dos mais antigos museus na cidade, tem coleções incríveis de achados arqueológicos que foram reunidos ao longo dos séculos. Muitos deles estão aqui devido à negociação colonial de objetos antigos no passado, que foram posteriormente doados ao museu por famílias aristocráticas. Entre os objetos mais impressionantes estão as moedas e estátuas dos séc. 4 e 5 a.C., bustos da época do Império Romano, e epígrafes Latina. Há também impressionante descobertas das civilizações egípcia e Assiryan-Babilonian.


Libreria Nazionale Marciana, Livraria Nacional Marciana







A Libreria Nazionale também é conhecida em italiano como Biblioteca di San Marco, Libreria Sansoviniana, Libreria Vecchia, Libreria di San Marco ou apenas A Marciana. Tem uma das coleções de manuscritos mais valiosas do mundo, em um dos maiores acervos da Itália.
O edifício renascentista que abriga a biblioteca ostenta 25 estátuas de vários heróis e deuses e fica na Piazza San Marco. Sua construção começou em 1537, mas as obras só terminaram em 1588. A biblioteca ocupa suas instalações desde 1553. Em 1811, transladou-se ao Palazzo Ducale e voltou à casa em 1924.
Atualmente a Biblioteca Marciana conta com mais de um milhão de livros, bem como, cerca de 13.000 manuscritos, incunábulos e livros impressos entre 1500 e 1600. Tem também muitos manuscritos iluminados. Apenas duas salas são abertas ao público e na principal destaca-se a ornamentação de Veronese, Ticiano e Tintoretto. Entretanto, visitas guiadas oferecem diferentes itinerários.

Piazzetta San Marco n.7
http://marciana.venezia.sbn.it/


Scuola Grande di San Rocco





Este museu, que fica em um edifício construído em 1516, em homenagem a São Roque, abriga a maior coleção das obras de Tintoretto. Ele pintou em suas paredes e tetos cenas como "São Roque em Glória", "A Crucificação", "A Anunciação", entre outras. Além disso, estão lá outros 67 quadros pintados por ele, entre 1564 e 1587. É o maior conjunto de pinturas de um só artista do mundo.
A vida do artista está intimamente relacionada com a cidade, que abriga muitas de suas grandes obras. De acordo com alguns críticos estas pinturas, por causa do tema único e da localização, são para Veneza o que a Capela Sistina é para Roma.

San Paolo, número 3058 (Campo San Rocco)
Horários para visitação:
Diariamente das 9h30min às 17h30min.
Fechado nos dias 1º de janeiro, domingo de Páscoa e 25 de dezembro.
O ingresso custa 7 euros para adultos e 5 euros para pessoas com até 26 anos de idade ou grupos com mais de 20 pessoas. Jovens até 18 anos de idade acompanhados por um dos pais não pagam.


Collezzione Peggy Guggenhein, Coleção Peggy Guggenhein







Em 1949, a sobrinha do milionário Salomón Guggenheim, que era comerciante de arte, se instalou no inacabado palácio renascentista Venier dei Leoni, do século XVIII, no Grande Canal de Veneza. A importante coleção de arte moderna, que reuniu durante toda sua vida, é exibida hoje, pelo Museu da Fundação Peggy Guggenheim.
A instituição abriu suas portas em 1980 e conta com um acervo permanente de 200 quadros e esculturas representativas dos mais importantes movimentos da arte moderna. Obras cubistas, como "O Poeta", de Pablo Picasso, ou uma sala dedicada integralmente a Jackson Pollock, podem ser vistas juntas com criações de artistas como Miró, Kandinsky, Magritte, Mondrian ou Malevich.

Palazzo Venier dei Leoni, Dorsoduro, número 701.
Horário para visitação:
De quarta-feira a segunda-feira: das 10h às 18h
Fechado nas terças-feiras e no dia 25 de dezembro.
O ingresso custa 12 euros para adultos, 10 euros para maiores de 65 anos e 7 euros para estudantes com menos de 26 anos (portando a carteira de estudante). Crianças menores de 10 anos não pagam.


O Palazzo Ducale e a Torre dell'Orologio, são imperdíveis e dediquei um post para cada um, mas Veneza oferece outros museus, conforme relaciono abaixo. 



Passe para museus em Veneza
O passe custa 18 euros, mas tem uma redução se comprado pelo site e com, no mínimo, sete dias de antecedência. Estudantes com menos de 26 anos pagam 12 euros. Você também pode comprar passes para transportes, estacionamento, banheiros públicos e transfer.

Passes para museus, serviços e transportes:
http://www.veniceconnected.com/buy/calendar


O Museum Pass é um bilhete válido por 6 meses e concede uma admissão a cada um dos seguintes museus:
  • Palácio Ducal
  • Museo Correr
  • Museo Archeologico Nazionale
  • Quartos monumental da Biblioteca Nazionale Marciana
  • Rezzonico Ca '- Museu de Arte do Século 18
  • Museu de Palazzo Mocenigo
  • Casa Carlo Goldoni
  • Pesaro Ca ', Galeria Interncional de Arte Moderna Museu de Arte Oriental +
  • Glass Museum - Murano
  • Museu de História Natural
  • Lace Museum - Burano
Você pode optar por outros tipos de passes, como por exemplo, somente para os museus da Praça de São Marcos, mas a diferença de preço, neste caso, é de 2 euros. 
Existe a opção de comprar o passe na bilheteira dos museus, entretanto, sem desconto. 

Fondazione Musei Civici di Venezia
Piazza San Marco 52
30124 Venezia
Phone +39 041 2405211
Fax +39 041 5200935
info@fmcvenezia.it

http://www.visitmuve.it/en/museums/