14 fevereiro 2012

Macarron, uma doce delícia!



Lindos, deliciosos e decorativo!!!




A tradicional receita do macaron consiste em uma simples mistura de açúcar refinado, claras de ovos, farinha de amêndoas e açúcar de confeiteiro, mas na realidade, este deleite francês exige muita perícia e delicadeza para que apresentem uma casquinha crocante e interior macio.
Frequentemente são recheados com ganache ou creme manteiga nas mais variadas cores e sabores: frutas vermelhas, chocolate, café, pistache, frutas exóticas e por aí vai.





Delicioso e de origem polêmica, como a maioria das receitas clássicas, o tem séculos de história. Apesar do nome francês, acredita-se que a receita original seja italiana e tenha surgido em algum monastério sem uma data precisa - o nome macaron derivaria do italiano maccherone e do veneziano macarone  (massa).  






Somente durante a Renascença, Catarina de Médici, ao casar-se com Henrique, Duque de Orleans, leva essa iguaria à Corte Francesa. Já os franceses clamam que a receita já era confeccionada anteriormente nos monastérios de Cormery na França, desde o ano de 791. De uma forma ou de outra, no início os macarrons eram apenas "biscoitos" de amêndoas sem qualquer recheio.



Durante o séc. XVII os macarons foram confeccionados pelas Carmelitas, que seguiram os princípios de Theresa D’Ávila: “Amêndoas são boas para as jovens que não comem carne.”
Durante a Revolução Francesa, duas freiras especializaram-se no preparo e comercialização do doce. Ficaram famosas e passaram a ser chamadas de Souers Macaron (Irmãs Macaron).



Já no séc. XX, Pierre Desfontaines, fundador da famosa Pâtisserie Ladurée introduz um recheio cremoso e um acabamento liso na superfície dos macarrons, que assumem assim a forma como o conhecemos atualmente.







Somente Patissiers especializados e muito habilidosos são capazes de imitar os famosos  macarons da Ladurré, alguns dizem que os macarons são “temperamentais”, mas na verdade exigem mãos de artesão, paciência de monge e disciplina militar, pois são realmente muito difíceis de serem feitos com perfeição.





Para se ter uma ideia, a temperatura tem que ser monitorada, caso contrário racham ou não formam o famoso pé, podendo ficar ressecados e quebradiços ou ainda moles por dentro. Mas não é só a temperatura do forno, a temperatura dos ovos pode arruinar a massa, a batida da mistura tem de ser manual, isso mesmo é feito a mão senão a massa pode soltar óleo e … lá vai uma fornada pro beleléu !



A farinha utilizada é de Amêndoas e não pode ser feita em casa, pois o processo tem que ser sem maceração para que a farinha fique seca e fina e permita o acabamento liso da superfície.
O ambiente tem que ser controlado, pois essas pequenas joias não gostam de calor nem de umidade e o equipamento deve ser específico para a produção dos macarons.
Finalmente o processo de fabricação exige vários períodos de descanso, desde o preparo da massa, até a saída do forno. Em média, demora mais de 5 horas para fazer somente as casquinhas, sem contar que não podem ser estocados, o que quer dizer que quem come um macaron pode ter certeza que é perfeitamente fresco.



O recheio é a parte mais importante, pois é ele que dá o sabor ao macaron. Este também tem suas peculiaridades e demanda um bom tempo de preparo também.
Apesar do ritual que sua fabricação exige os macarons tem substituído doces tradicionais como os bem-casados, um pouco pela sua exclusividade, pelo requinte desse francês notável como também pela experiência gastronômica, que é como o primeiro beijo, ou seja, a gente nunca esquece.






Da exclusiva versão parisiense dos macarons, há pelo menos duas patisseries que carregam a fama de terem os melhores macarons de Paris,  a Ladurée e o Pierre Hermé.




Independentemente da origem, os macarons resistem até hoje e figuram nas melhores confeitarias do Brasil e do mundo.



Hoje ele está presente na decoração das mais diversas ocasiões. Veja algumas ideias e inspire-se!

Debutantes
A variação de cor dos macarons confere uma gama de formas de utilização. Uma sugestão é enfeitar a mesa de aniversário da debutante. O tom de lavanda marca a transição da infância para vida adulta de forma sofisticada e sutil.



Chá da tarde
Levar a sofisticação e a elegância dos macarons para hora do chá é uma opção que valoriza e personaliza o momento. A iguaria feita em tom chocolate vai surpreender os convidados.



Crianças
Com a grande variedade de cor, não é difícil transferir o charme dos macarons para festas infantis. Além de ser delicioso, o confeito se torna parte da decoração, deixando a festa sofisticada, sem perder a alegria e o elemento pueril.



Casamentos
Que tal trocar os típicos bem casados por macarons em formato de coração? É uma ideia criativa, sofisticada e elegante. A sugestão é que eles sejam embalados um a um em caixas com tampa transparente, assim o charme do doce fica visível aos convidados.




Bem, eu me rendi aos macarrons... E só de pensar dá água na boca!!!


La Train Blue

Macarron do restaurante Le Train Blue
 http://www.le-train-bleu.com/fr/index.php   

Até o próximo post!!!


Nota: As 18 primeiras imagens que ilustram esse post foram copiadas da internet, de sites que não traziam qualquer restrição a esse procedimento. A qualquer momento podem ser removidas caso os autores se pronunciem. 


Veja também: O melhor da Patisserie francesa no Brasil