12 julho 2012

Chocolate, prazer e saúde


Que o chocolate é uma delícia, isso não é novidade. E, para melhorar, alguns estudos vêm apontando resultados benéficos para a saúde. A pesquisa mais recente comprova que o chocolate faz bem ao coração. O estudo, que foi apresentado no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, em Paris, sugere que o consumo do alimento está associado à redução, em um terço, dos riscos de doenças cardíacas. 

Chocolate

Apesar das pesquisas apontarem benefícios á saúde, por conta de suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, estudos mais específicos tiveram de ser realizados para averiguar como poderia ter ação positiva para o coração. Para isso, uma equipe da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, realizou um estudo mais profundo das evidências apresentados até o momento. Foram analisados os resultados de sete pesquisas anteriores, que envolviam mais de 100 mil participantes, que tinham ou não problemas cardíacos. Os dados foram divididos entre os grupos de pessoas que apresentavam o maior e o menor consumo do alimento. Dos sete estudos analisados, cinco apontaram relação positiva entre o consumo mais elevado de chocolate e os riscos cardiovasculares. Outros resultados, estes também apresentados no Congresso da França, preveem que o chocolate pode ajudar a diminuir em até 29% os riscos de acidente vascular cerebral (AVC). 

Morangos com Chocolate

Com moderação, além de promover sensação de bem estar, o alimento pode também aliviar dores. De acordo com um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, o prazer de degustar o chocolate pode atuar como analgésico natural. Apesar de o teste ter sido realizado em ratos, pesquisadores acreditam que o mesmo efeito ocorra em pessoas. “O chocolate amargo, se consumido moderadamente, pode contribuir com a saciedade, com a função cognitiva e com o humor”, garante o nutricionista Marcos Brentari, da Top Care, em São Paulo. Segundo o profissional, o chocolate amargo apresenta mais benefícios em relação aos outros por conter mais cacau, já que quanto maior for sua quantidade presente no chocolate, melhor. “Ou seja, quanto mais cacau houver, maior será a quantidade de flavonoide - substância benéfica presente no fruto do cacau - e menor será a de açúcar”, acrescenta.


Entretanto, o consumo em demasia deve ser controlado, já que o alimento pode também levar à obesidade. Para a nutricionista Patrícia Ramos, do Hospital Bandeirante, em São Paulo, aqueles que se preocupam em manter o peso devem optar pelo amargo, já que com uma quantidade menor de açúcar, o valor calórico será mais baixo. “Muitas pessoas pensam que o 'diet' engorda menos, mas na verdade é o amargo. Já a quantidade ideal é seis gramas por dia, que equivale a um quadradinho pequeno de uma barra de chocolate”, comenta. De acordo com a profissional, o chocolate em pequena quantidade pode, de fato, ser benéfico á saúde, já que a substância citada anteriormente, a flavonoide, tem ação antioxidante e combate os radicais livres, evitando assim o envelhecimento precoce das células e deterioração da parede das artérias.


Sabendo apreciar com moderação, o chocolate pode ser um aliado na prevenção de doenças e pode ser consumido sem culpa. Portanto, renda-se ao prazer desse delicioso alimento e livre-se do mito de que tudo que é bom faz mal... O chocolate prova que essa ideia está mais do que ultrapassada. 


Veja também:

Pierre Marcolini e o luxo em chocolates