06 julho 2013

Ouro Preto - Museu do Oratório


Inaugurado em Ouro Preto, em outubro de 1998, o Museu do Oratório apresenta uma magnífica coleção – única em todo o mundo – de 162 oratórios e 300 imagens dos séculos XVII ao XX.


Museu do Oratório
Nossa Sra da Conceição - oratório do século XVIII


As peças do acervo foram doadas ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) pela colecionadora Angela Gutierrez e são genuinamente brasileiras, principalmente de Minas Gerais.
Caracterizando-se pela diversidade de tipos, de tamanhos e de materiais, o acervo oferece detalhes valiosos da arquitetura, pintura, vestuário e costumes da época em que foram produzidos, permitindo uma verdadeira viagem antropológica pela história do Brasil.

Visitado anualmente por mais de 50 mil pessoas, o Museu do Oratório está instalado em um casarão histórico de três andares onde, durante algum tempo, morou Aleijadinho (1738-1814) – o mais importante escultor barroco do Brasil em todos os tempos.

Situado no adro da Igreja do Carmo, o prédio setecentista foi especialmente recuperado e equipado com modernos recursos tecnológicos para receber a coleção. O projeto museográfico é do francês Pierre Catel, que idealizou um cenário expressivo e acolhedor. Aliada a uma manutenção impecável, a atmosfera, com fundo de música barroca, encanta o visitante e valoriza ainda mais a coleção.

A importância da coleção de oratórios é reconhecida em todo o mundo, o que leva o Museu a ser frequentemente convidado a expor suas peças em eventos nacionais e internacionais de grande expressão. Desde a primeira exposição no exterior, realizada em Lisboa, Portugal, em março de 1994, os oratórios já representaram a arte colonial brasileira na França (em duas oportunidades), Itália, Chile, Venezuela, Inglaterra e Estados Unidos.

Na tentativa de ampliar as condições de acesso ao seu acervo, em 2003 foi criado o Projeto Museu Itinerante com a montagem de uma exposição composta de 50 oratórios e 80 imagens que integram parte da reserva técnica do museu. Esta mostra já cumpriu dois grandes circuitos em cidades do interior de Minas Gerais, em 2003, e de São Paulo, em 2004, neste caso com o apoio do SESC do Estado de São Paulo. O projeto é um grande sucesso de público – nestas duas oportunidades, perto de 100 mil pessoas visitaram o acervo itinerante.

O Oratório na História

Pequenos retábulos de uso particular, os oratórios têm sua origem nos primórdios da Idade Média. Esses utensílios religiosos chegaram à Colônia pelas mãos do colonizador português e se espalharam pelas fazendas, senzalas e residências, tornando-se parte do cotidiano brasileiro.

Inicialmente, a capela concebida para o rei – na época acreditava-se que ele possuía dons divinos – era o local adequado para se fazer orações. Ao longo do tempo, essas capelas evoluíram para o uso particular e passaram a ser frequentadas por associações leigas.

Inspirando-se nos costumes da realeza, as famílias mais abastadas também passaram a possuir seus próprios altares. Esse costume acabou por se estender até o povo. Revela-se, a partir de então, o desejo de posse de relíquias ou outros objetos de piedade que conferiam aos seus donos segurança e intimidade com o mundo do sagrado.

A partir daí, as imagens pintadas, esculpidas ou xilogravadas de santos protetores proliferaram-se. Muitas vezes, foram guardadas em pequenos altares, buscando-se conferir um ambiente propício para orações e celebrações.


Museu do Oratório
Adro da Igreja do Carmo, 28 - Centro
Ouro Preto - Minas Gerais - Brasil
CEP: 35.400-000
Telefone: 55 31 3551 5369
info@museudooratorio.org.br

Diariamente de 9:30 às 17:30 horas
Recessos anuais:

* Dia 1º de Janeiro
* Dia 21 de Abril
* Dia 12 de Outubro
* Dia 24 de Dezembro
* Dia 25 de Dezembro
* Dia 31 de Dezembro