10 outubro 2013

Loggia dei Lanzi, um museu a céu aberto

Loggia quer dizer galeria, arcada aberta e a bela Loggia de Florença recebeu esse nome porque ali acamparam os Lanzichenecchi, ou soldados mercenários que serviam ao Sacro Império Romano. Eles se abrigaram ali em 1527, a caminho de Roma, e a Loggia passou a ser chamada de Loggia dei Lanzi, numa abreviação do nome alemão. O termo é derivado do alemão Landsknecht (Land = terra + Knecht = servidor).


Loggia dei Lanzi, Florença Piazza della Signoria
Loggia dei Lanzi

Sua denominação original, della Signoria é, como fica óbvio, devido ao fato de estar situada na praça que é o coração de Florença. No entanto, até hoje os florentinos se referem a ela mais como Loggia dei Lanzi que della Signoria.

A Loggia foi construída entre 1376 e 1382 e por ser local coberto servia para a realização de assembleias públicas e cerimônias oficiais da República. Não tem um estilo definido. Poderia ser considerada gótica se não fossem as arcadas renascentistas. Quando cai a República, e é criado o Grão Ducado da Toscana, ela passa a não mais servir como centro de assembleias dos cidadãos, então, dão-lhe a destinação de abrigar obras de arte. Isso faz da Loggia um dos primeiros espaços de exposição pública do mundo.

São treze as esculturas que se pode contemplar de perto a qualquer hora do dia ou da noite, e de graça. Todas belíssimas, mas sem dúvida a mais famosa, e a minha preferida é Perseu com a cabeça da Medusa (1554), também conhecida como o “Perseu de Cellini”, que foi a primeira a ser ali colocada. Considerada a obra prima do joalheiro-escultor Benvenuto Cellini, a escultura, em bronze, deu muito trabalho ao artista para ser realizada e é a única, das treze, feita especialmente para a Loggia della Signoria.


Loggia dei Lanzi,Perseu com a cabeça da Medusa, Florença Piazza della Signoria

Na extrema esquerda, no alto de um pedestal, Perseu segura a cabeça da Medusa pelos cabelos e olha para baixo, em direção ao espectador, enquanto que, com a mão esquerda empunha a espada curva que lhe foi dada por Mercúrio, seu protetor. 


Loggia dei Lanzi,Perseu com a cabeça da Medusa, Florença Piazza della Signoria

O pedestal de mármore ricamente decorado, também por Cellini, foi removido no século XX e substituído por uma cópia. Trata-se de outra obra prima, onde o artista demonstra todo seu talento em obras de menor escala nas representações, em bronze, de quatro divindades ligadas ao mito de Perseu, Júpter, Mercúrio, Minerva e Danaë. O pedestal original está no Bargello, museu de esculturas, também em Florença.


Loggia dei Lanzi,Perseu com a cabeça da Medusa, Florença Piazza della Signoria

Perseu depois de uma restauração prolongada voltou a ficar em exposição na Loggia dei Lanzi e é uma obra que merece toda nossa atenção: é perfeita!


Loggia dei Lanzi,Perseu com a cabeça da Medusa, Florença Piazza della Signoria

Benvenuto Cellini trabalhou quase dez anos neste bronze (1545-1554). Seu projeto de cera foi imediatamente aprovado por Cosimo I. Ele conheceu inúmeras dificuldades que, de acordo com sua autobiografia, quase o levaram à beira da morte. 

Outra das minhas preferidas, a cópia do O Rapto das Sabinas (1583 - 1584), está na extrema direita. Esta impressionante obra, cuja original está na Galleria dell’Academia, foi esculpida em um único bloco de mármore branco, o maior já transportado para Florença.


Loggia dei Lanzi, O Rapto das Sabinas, Florença Piazza della Signoria

O artista flamengo Jean de Boulogne, mais conhecido por Giambologna, queria criar uma composição com a Figura serpentina , um movimento em espiral para cima podendo ser examinado a partir de todos os lados. Este é o primeiro grupo que representa mais do que uma figura única na história da escultura europeia a ser concebida sem um ponto de vista dominante. Ele pode ser igualmente admirado por todos os lados. O pedestal de mármore, também de Giambologna, representa o mesmo tema. Este grupo está na Loggia desde 1583.


Loggia dei Lanzi, O Rapto das Sabinas, Florença Piazza della Signoria
Em formato helicoidal, de qualquer lado que se olhe existe
 um ponto de interesse

Hércules e o Centauro Nessus, também esculpido em um único bloco de mármore branco por Giambologna, em 1599 foi trazido para a Loggia em 1841. Para este trabalho Giambologna contou com a ajuda de Pietro Fracavilla.



Loggia dei Lanzi, Hércules e o Centauro Nessus, Florença Piazza della Signoria

Loggia dei Lanzi, Hércules e o Centauro Nessus, Florença Piazza della Signoria

É praticamente impossível eleger uma obra mais bela, mais outra que muito me impressiona é o grupo Menelau e Patroclo, cujo autor é desconhecido, mas trata-se de uma relíquia romana. Descobertos em Roma, esta escultura da era Flaviano estava originalmente no extremo sul da Ponte Vecchio. Há outra versão deste mármore romano muito restaurado no Palazzo Pitti.  


Loggia dei Lanzi, Menelau e Patroclo, Florença Piazza della Signoria

Loggia dei Lanzi, Menelau e Patroclo, Florença Piazza della Signoria

O Rapto de Polixena (1865), de Pio Fedi, é uma obra em diagonal que conta o desespero de Hécuba diante do corpo de filho morto e ao ver sua filha Polixena ser raptada a mando de Aquiles, que matou seu filho. É uma estátua magnífica que conta outro episódio do poema de Homero. Aqui um breve resumo desse episódio:  Polixena é a filha de Hécuba e do rei de Tróia; Aquiles mata seu irmão Troilus diante dela; depois, ele se apaixona por ela. Louco de paixão, resolve raptá-la; foi nesse convívio forçado que ela descobriu o único ponto fraco de Aquiles: seu calcanhar. Então ela conta sobre o ponto vulnerável de Aquiles a Paris e... Bem o resto da história, só lendo Homero!  


Loggia dei Lanzi, Rapto de Polixena, Florença Piazza della Signoria

Loggia dei Lanzi, Rapto de Polixena, Florença Piazza della Signoria

Loggia dei Lanzi, Rapto de Polixena, Florença Piazza della Signoria

Loggia dei Lanzi, Rapto de Polixena, Florença Piazza della Signoria

Na fachada da Loggia, abaixo do parapeito, estão trefolis com figuras alegóricas das quatro virtudes cardeais (fortaleza, temperança, justiça e prudência) por Agnolo Galddi . O fundo azul esmaltado é obra de Leonardo, um monge, enquanto as estrelas douradas foram pintados por Lorenzo de Bicci.


Fortaleza

Justiça

Prudência 

Temperança

Impossível não destacar também que na frente da Loggia dei Lanzi estão os dois Leões di Medici ou Marzocco, um dos símbolos de Florença. O mais antigo teria sido datado do século II e retrabalhado no século XVI por Giovani Fancelli, enquanto que o segundo, feito em mármore (1598), é atribuído a Flaminio Vacca.


Loggia dei Lanzi, Leões di Medici, Florença Piazza della Signoria

Na parte de trás da Loggia estão cinco estátuas de mármore do sexo feminino (Matidia, Marciana, Agrippina Minor, Sabines e Thusnelda,  trabalho de um prisioneiro bárbaro da época de Trajano e Adriano. Elas foram descobertas em Roma, em 1541. As estátuas estavam na Villa Medici em Roma desde 1584 e foram trazidas para Florença por Pietro Leopoldo, em 1789. Todas sofreram restaurações modernas significativas.


Bem, agora você já conhece um pouco de toda riqueza que encontrará na Loggia dei Lanzi ou Loggia della Signoria.


Veja também:

Por dentro de Florença

Piazza della Signoria

Duomo de Florença